• Cria Para o Mundo

Novo olhar para educar

Cria Para o Mundo foi convidado para conhecer o curso da Educadora Parental Dani Ribeiro, que propõe uma mudança no olhar na relação de pais e filhos.




Por Luciane Evans e Nathalia Ilovatte


Ler livros, buscar informações, estudar... Sim! Estudar para ser pai e mãe é o que tem trazido mais leveza para a maternidade e paternidade de muita gente. Há quem diga que, por meio dos estudos, reconheceu, felizmente, que ninguém nunca está pronto para educar uma criança. É por isso que a busca pelo conhecimento se tornou a chave para repetir o que foi positivo na nossa infância ou para fazer diferente daquilo que fizeram os nossos pais.


Estudar, então, se tornou precioso para a criação de filhos e uma ferramenta de auxílio para aprimorar os instintos. Por isso, o Cria Para o Mundo aceitou o convite para fazer o curso vincular "Um Novo Olhar Para a Relação Pais e Filhos", produzido pela educadora parental Dani Ribeiro, de Belo Horizonte.


Mãe de quatro filhos, Dani mergulhou fundo na educação com foco na Disciplina Positiva. Tem certificados Positive Discipline Associate (EUA) e em Parentalidade e Educação Positiva pela Escola da Parentalidade de Porto (Portugal). É dela o portal Vida a Sete.


O curso online vincular não é propriamente um curso, porque não te ensina nada. Dani propõe novas reflexões sobre velhos temas. Para isso, questiona o nosso papel de pais e nos faz refletir ao nos colocar, muitas vezes, no lugar da criança, o que muda a nossa perspectiva sobre muita coisa. São vídeos curtos, de no máximo 10 minutos, em que a educadora cita autores, teorias e a prática disso nas suas experiências com a maternidade.

Ela se coloca como uma mãe possível, reconhecendo os desafios e contando aos alunos sobre os seus erros. O objetivo de Dani é mudar o olhar da parentalidade, desconstruindo antigas ideias, entre elas, por exemplo, o autoritarismo e a permissividade. Muitos pais, e nos incluímos aí, querem que as coisas aconteçam do jeito deles.


É o famoso “eu mando e você obedece”, que muitos de nós sabemos muito bem como funciona. Nesse momento esquecemos de envolver a criança nesse processo e, por falta de tato com as situações, buscamos o castigo, as palmadas, o grito... Para a Disciplina Positiva, esse caminho funciona a curto prazo, pois logo a criança volta a fazer tudo de novo.


Já a permissividade muitas vezes ocorre pela fragilidade dos pais, que sentem culpa pela ausência ou chegada de um irmão, por exemplo. Nesse contexto, ocorre uma liberdade sem ordem, e a criança faz o que ela quiser. Tanto o autoritarismo como a permissividade são relacionamentos tóxicos. É preciso buscar o equilíbrio entre eles.


De acordo com o que aprendemos com as explicações do curso online, o autoritarismo seria uma ordem sem liberdade. A permissividade seria a liberdade sem ordem, e a parentalidade positiva (a que se propõe o curso) seria a liberdade com ordem e escolhas limitadas.


Ao explicar como a Disciplina Positiva pode ser aplicada no dia a dia com as crianças, Dani nos lembra de buscarmos ser firmes e gentis. Firmeza e gentileza são, juntas, a base desse modo de criar os filhos. Não se trata de deixar que façam tudo o que querem, nem de construir uma relação com base em castigos, gritos, acusações e humilhações. O caminho do meio tem limites e regras, mas a criança é incentivada, de maneira respeitosa, a segui-las.


Na teoria, tudo faz sentido. Mas na prática, com pressa, cansaço e outros fatores contribuindo para uma parede rabiscada ou uma roupa suja no chão do quarto serem o estopim para uma explosão, às vezes, fica difícil conseguir ser firme e gentil. E, para isso, as aulas de Dani também são úteis.

Citando exemplos do próprio cotidiano, a especialista demonstra maneiras de lidar com situações comuns na maioria das casas, e que podem fazer mães e pais arrancarem os cabelos, como brinquedos espalhados, dever de casa atrasado, ou dirigir com as crianças em guerra no banco de trás.


Para não perder a razão, acolher os próprios sentimentos para encontrar uma maneira saudável de canalizá-los é o primeiro passo, e também um dos mais difíceis, já que nossa geração de pais vem de uma criação que procurava calar as emoções das crianças e adolescentes. Ciente do quão desafiador pode ser para nós lidar com as próprias raiva e frustração, ela oferece algumas sugestões, propõe reflexões e conta o que costuma funcionar na família dela, mas sem roteiros nem fórmulas prontas.


Curso baseado no ensinamento de Jane Nelsen


O curso de Dani Ribeiro é baseado nos ensinamentos de Jane Nelsen, a precursora do programa Disciplina Positiva. Jane, que é norte-americana, é psicóloga, educadora e mãe de sete filhos e, a partir das teorias dos psiquiatras Alfred Adler e Rudolf Dreikurs, concebeu um programa em que a disciplina é ensinada de uma maneira respeitosa e encorajadora, tanto para as crianças como para os adultos.


Com base no que diz Jane, o curso vincular "Um Novo Olhar Para a Relação de Pais e Filhos" questiona o que fazemos hoje e o que pode ser mudado para que haja mais respeito e encorajamento nessa relação. Reconhecendo que os limites são necessários, a educadora diz ser preciso mudar a forma como nós enxergamos as nossas crias, encarando os desafios de comportamento como uma oportunidade de vida para o futuro.


Um mal comportamento, por exemplo, pode ser a ponta de iceberg e é necessário olhar para o que está submerso, seja, para as reais necessidades daquela criança. Pode ser um sintoma da falta de encorajamento. Aliás, encorajar e elogiar são coisas diferentes. 


E esse é um dos ensinamentos aprendidos pelo Cria Para o Mundo neste curso. Elogiar as crianças pode nem sempre ser saudável, pois segundo Dani Ribeiro, o elogio é a resposta naquilo "em que sou para o outro" e o foco está na criança, no ego dela. Já o encorajamento se refere `a atitude e `a confiança que o filho terá da própria capacidade.

Funcionaria mais ou menos assim: “Filho, como você se sente sendo o aluno destaque da sua turma? O resultado é reflexo do seu esforço". Esse é um dos exemplos do convite para a mudança de olhar do curso. A educadora nos desperta para uma série de mudanças que precisam ser feitas e reconhece: o caminho é longo!



O que é a disciplina positiva? Entenda


A chave da Disciplina Positiva é a não punição e o respeito mútuo. Jane Nelsen ensina pais e professores a serem firmes e gentis ao mesmo tempo, de modo que qualquer criança – de bebês a adolescentes rebeldes – possam aprender cooperação e autodisciplina sem que sua autoestima e dignidade sejam prejudicadas. Alinhada com as diversas mudanças na forma de educar os filhos ocorridas nas últimas décadas, esta obra foi atualizada e contempla por exemplo o fato de atualmente cada vez mais homens se engajarem em seu papel de pais, além de abordar os perigosos efeitos da superproteção, outra questão contemporânea que merece atenção.

Fonte: Educação Para a Paz



Este guia foi lançado há mais de 30 anos e continua sendo referência para o assunto, com mais de meio milhão de cópias vendidas em todo o mundo.