Filho a gente cria para o mundo. Mas para qual mundo estamos criando nossos filhos?

 

Queremos que as próximas gerações sejam mais empáticas. Que levem uma vida mais conectada com a natureza e menos nociva a ela. Queremos que respeitem as diferenças e, mais do que isso, que façam da diversidade um padrão. Queremos que cresçam sabendo que homem cozinha, homem lava, homem cuida e homem chora. E que menina pode ser e fazer o que quiser. 

 

Queremos que as novas gerações, vulgo nossos filhos, vivam em um mundo com menos competição e mais acolhimento, que se importem menos com o ter e mais com o ser. Que não se violentem calando os sentimentos - os próprios e os dos outros. Que construam relacionamentos saudáveis, com escuta e carinho, e que descubram uns nos outros o prazer enriquecedor de conviver.

 

Queremos muito, sonhamos grande, desejamos para os filhos o mundo que a gente não tem. Mas sabemos que somos nós os responsáveis por dar os primeiros passos na construção dele. 

 

E é dessa enorme e difícil missão que nasceu esse espaço. Mais do que uma plataforma digital sobre ser mãe e ser pai, o Cria Para o Mundo quer ser um lugar de troca entre aqueles que criam um filho para um mundo melhor. 

 

É por meio do jornalismo, com a responsabilidade social e ética da profissão, que queremos empoderar mães e pais. Levar a informação para o debate, para a reflexão. Ouvir e contar histórias. Aspiramos a produzir conteúdo capaz de estimular pensamento crítico e ação. Apostamos no poder da comunidade e das boas conversas.

 

Puxe uma cadeira, traga um café ou sua cerveja preferida. E vamos conversar e aprender sobre os filhos que temos, o mundo que queremos e os pais e mães que podemos ser.

 

Venha, vamos juntos, a porta está aberta!